23/03/2013

Uma Ode

Ela nunca teve meia vontade,
não rezou baixnho
nem fechou os olhos de medo
nem surtou em segredo
que nunca esperou o mesmo fim sabendo que já acabou
esperando a droga amaciar sua mente
esperando a droga de mundo demente
o julgamento do pensamento
o jubilo e o tormento de não se importar com o resto
de não querer ser o resto
que não é diferente para ser igual,
Diga traz outro trago
bebe aquele gosto amargo
espera o fim que ja veio
não quer bater, nem escrever poeisa,
Quieta insistindo em querer insistir,
Insistindo em fingir sorrir,
Fechada no sorriso aberto,
andando por caminhos conhecidos,
conhecendo caminhos repitidos
Ela que já nem sabe mais quem é
Guardando no peito o que quer....

21/03/2013

Nunca mais faço a barba
nem tomo vergonha na cara

Você vai ver
Vou conituar o mesmo


você vai ver!

19/03/2013

Senta aqui

Senta e diz pra mim quem fez a vida assim...
cheia de barba pra esquentar
cheia de encruzilhada pra estrada errada,

Senta aqui e fuma aquele cigarro que me ensinou a fumar
bebericando cerveja no canto do bar
respirando o ar frio da solidão

Senta aqui e me conta de novo
o conto incontável
conta o futuro indizível

Senta aqui e olha lá
lá se foi.

Escrito ao som de Teatro Mágico - Cuida de Mim



18/03/2013

E ela simplesmente sentou e negou a ser quem era.
ela simplesmente disse que ia mudar,
ela percebeu que não sabia quem era,
muito menos o que mudar,

Morrer

O que ela quer ela não tem
Se ela quer que fique longe, não fica
Paz é uma palavra sem sentido
Prazer só com alguma droga
Morte só com suicidio,
e tudo mundo acha que ela está bem sorrindo com a cerveja na mão
Já morreu tantas vezes que nem sabe porque está aqui,
e morrer com o mesmo coração dói,
Dói nada dar certo
Nada ser suave
Tudo ser fora do comum, sem controle.
Ela nem sabe mais porque o som está tão alto no meio da madrugada
Dizem que é pra não escutar o proprio choro
E aí,
quem você vai culpar quando seu mundo de vidro despedaçar?
Me diz
quem te força a ser como é?
Senão aquela sua coceirinha íntima pra poder se sabotar depois.

07/03/2013

02/03/2013

Da Série Meu Moleskine Salvando Vidas

Dia de chuva
Chove
Dia de choro
Chora
Dia de novo,
Corre...!!

Da Série Meu Moleskine Salvando Vidas

"Ela achava que ele só via o seu lado
  Ele tinha certeza que ela só defendia o lado dela
  Na verdade, ninguém via nada
  Afinal, tem coisas que não se vê,
  Sente"


Ao som de Russian Red - Cigarettes