25/10/2012

Falta

a falta da certeza
falta do abraço, do olho, do sorriso, do choro
lhe falta o caminho, a vontade, o grito, o parto
a falta da lágrima não parece ser sinal de alegria
nem alegria e nem tristeza disfarçam a descrença
lá vem o suspiro por falta de suspiro


Ao som de Placebo

24/10/2012

E tudo pára.
E ninguém sabe o que dizer.
E o sorriso, meio sem querer, dá o ar da graça.
Tudo volta, ninguém sabe dizer o que aconteceu.
E aí, o que aconteceu?

18/10/2012

E se?

E se ela te ver, quem você vai ser.
Se ela te sorrir como você vai vir
Se ela te mentir você vai sentir?

Se ela sentar e chorar onde você vai estar?
E se ela gritar em silencio, silenciar gritando.
Com a boca deslizar nos olhos
Com os olhos implorar o afago

Se ela fechar a ferida.
A sua abre?
Se ela fechar a ferida, vai doer?


10/10/2012

Verbo sossego

Deslizo entre dedos, entre ódios, entre olhos
Durmo entre sorrisos ébrios e abstêmios
Choro entre rins e seios
Sorrio entre cabelos
Mas escrevi nos seus olhos
E me desenhei na sua boca
Sento no seu silencio
Faço meu, o seu suspiro
Faço minha, a sua ausência e acordo com um novo acordo.
Que só eu soube redigir.

09/10/2012

Todo dia vai ser assim.
enquanto você botar o dedo
enquanto fingir que não tem medo.

Toda noite vai ser ruim,
fingindo não fingir
segue assim

Todo olhar vai ser desviado
e pra não instigar,
olhar pra que lado?