21/12/2012

As vezes tenho a impressão
de carregar o mundo com o coração,
e você ocupa tanto espaço,
que quando tenta sair, esvazio.

Sim, anoiteci pouco subjetivo.


Ao som de Nunca - A banda mais bonita da cidade.

16/12/2012

A boca pede
O silencio pede
Os olhos pedem

Em sorrisos
Em conversas
Em notas poesias e fotografias


21/11/2012

Engano é esquecer que não se esquece

Ela mudou seu modus operandi,
reinventou músicas, reescreveu romances,
deslizou pelas frestas da vileza,
acariciou seu ego, adotou valores torpes,
sorriu, bebeu e fingiu com destreza,
inventou novos lugares
tudo na esperança de não lembrar,

09/11/2012

Você

Você,
Tão menina dormindo
Tão amiga sorrindo
Tão mulher conversando
Tão amante beijando

Tão distante faltando

25/10/2012

Falta

a falta da certeza
falta do abraço, do olho, do sorriso, do choro
lhe falta o caminho, a vontade, o grito, o parto
a falta da lágrima não parece ser sinal de alegria
nem alegria e nem tristeza disfarçam a descrença
lá vem o suspiro por falta de suspiro


Ao som de Placebo

24/10/2012

E tudo pára.
E ninguém sabe o que dizer.
E o sorriso, meio sem querer, dá o ar da graça.
Tudo volta, ninguém sabe dizer o que aconteceu.
E aí, o que aconteceu?

18/10/2012

E se?

E se ela te ver, quem você vai ser.
Se ela te sorrir como você vai vir
Se ela te mentir você vai sentir?

Se ela sentar e chorar onde você vai estar?
E se ela gritar em silencio, silenciar gritando.
Com a boca deslizar nos olhos
Com os olhos implorar o afago

Se ela fechar a ferida.
A sua abre?
Se ela fechar a ferida, vai doer?


10/10/2012

Verbo sossego

Deslizo entre dedos, entre ódios, entre olhos
Durmo entre sorrisos ébrios e abstêmios
Choro entre rins e seios
Sorrio entre cabelos
Mas escrevi nos seus olhos
E me desenhei na sua boca
Sento no seu silencio
Faço meu, o seu suspiro
Faço minha, a sua ausência e acordo com um novo acordo.
Que só eu soube redigir.

09/10/2012

Todo dia vai ser assim.
enquanto você botar o dedo
enquanto fingir que não tem medo.

Toda noite vai ser ruim,
fingindo não fingir
segue assim

Todo olhar vai ser desviado
e pra não instigar,
olhar pra que lado?

26/09/2012

Penso enquanto abaixo a cabeça,
você nem desconfia que estou aí,
Olho pro chão, longe e frio,
você tem certeza que não estou nem aí

vem devagar,
desça, pule, cáia,
salgada, tão grande e minúscula.
tão dolorida quanto descer, pular, cair.

Escrito ao som de All You Need Is Love

17/09/2012

Ser forte nunca foi seu forte,
Nem bonita, nem triste,
Nunca brigou realmente pelo o que queria

Nunca chorou com vontade,
Nunca soluçou xingando,
Nem lhe faltou ar pra xingar...

Nem saiu chutando brita,
E não deixou de ligar
E de pedir desculpas,

Não conseguia inverter o jogo
Nem jogar sem ser sincera..
Transparente de medo de temer

Nunca suou, nem saiu da linha,
Nem tremeu, só gemeu baixinho,
e soluçou escondida,

E mesmo asim, no auge da sua fraqueza... era admirada por ser forte.


Texto escrito ao som de The bitter end e a song to Say goodbye - Placebo, sugiro que ouçam pra ler.

12/09/2012

Gangorra.

Ela só queria brincar na gangorra,
No sobe e desce da vida ver o horizonte de vários angulos
Sem ter ninguém pra apontar se estava por cima,
ou por baixo,
Só queria curtir sozinha tudo aquilo


Mas na gangorra ninguém brinca sozinha...


Escrito ao som de Glory Box

11/09/2012

Quem mata quem?

Amanheceram bebendo e fumando no pé da praia.. emburrada ela perguntou
-Seja sincero comigo, o que você fez afinal?
-Como assim?
-O que você fez, eu sei que você fez algo grave, nunca ví você com essa cara, há tempo eu vejo isso, você não me engana, conta.
- Ele, que não fumava, pediu um cigarro, abaixou a cabeça e começou a falar, eu transei com você, foi isso.
- Como assim transou comigo, quando?
- Quando você fechou os olhos e sorriu, eu não devia ter feito, mas fiz.
- Tá mas assim, sem mais nem menos?
- É não me segurei
- Porra, pra que isso meu...
- Mas você também não é a mesma, faz tempo, não foi só eu quem mudou.
- Eu sei.
- Então diz aí, não foi só eu né.
- Eu te matei,
-Ham?
-Eu falei pra não transar comigo
- Como assim me matou?
-Eu avisei.
- Quando voê me matou?
- Quando fechei os olhos e sorri.
- Aquele sorriso me chamou.
- Não era seu aquele sorriso
- É, você me matou, e agora?
- Sei lá, termina esse cigarro e mata alguém..



(não, esse texto não tem destinatário, a não ser eu e eu mesmo)

04/09/2012

Deixa assim é melhor não querer entender

Você que não acreditou
Não beijos os pés
Não lavou as mãos
Não sorriu amarelo
Nem se escondeu no banheiro
E nunca criou esperança
Olhou pra trás sem chorar
Achando que tudo era plástico
Sentindo que tudo era falso
Sabendo que tudo era um sonho
Lê, e tenta sem querer se encaixar
Que se encaixa sem querer ler
É a lógica nunca foi quebrada
Quem quebra não bate tão forte
Quem quebra sangra e faz viver.
Sim, tudo fica anestesiado
Nada será lembrado.
Nem aquela mancha branca no seu passado negro
Nem aquela mancha amarela no seu sorriso.

Escrito ao som de Engenheiros do Hawaii - Refrão de um Bolero e Placebo Every You Every Me



27/08/2012

Você é um amigo..
sorrindo com os olhos miudos
Você é um abrigo
filme silencio e braço esticado
Você é perigo
pensando olhos nos dedos ela sorria..

11/08/2012

No fim, como no começo,
Tudo virou uma troca de olhares
Agora com um sorriso razo
E uma cicatriz profunda

02/08/2012

A dois


Ela quis juntar os pés,
Viajar com o rosto no colo
Sentar nas pedras a dois

Quis ouvir música,
Ouvir o mar,
Ouvir o peito respirar

Quis olhar pela janela do onibus
Com a mão dada
Quis sorrir pela décima vez com a mesma piada.

Ele queria as coisas grandes, ele nunca entendeu.

02/07/2012

Poeminha Malandro

Ela chove fácil
Ela choca fácil
Ela chora fácil

Ele senta ereto
Ele nega afeto
Ele estava certo

Ela briga sorrindo
Ela sorri morrendo
Ela morre vivendo

Ele soube a hora
Ele foi embora
Ele nunca chora







Ponto final nem sempre põe fim ao caso.
Ponto final geralmente não está no fim do caso.
Ele sabia muito bem.

28/06/2012

Check Up

Ela verifica todo dia,
Pernas? Lisas, lindas, trançadas. ok.
Cabelo? Arrumadamente desarrumado. ok.
Unhas? Cintilantes anos 80. ok.
Olhos? Brilhantes. ok.
Boca? Vermelha sorridente. ok
Estomago? sem borboletas, ok.
Coração?
Coração?
Seu Filho da puta, sempre você.

27/06/2012

"Nobody Said It was Easy"

Cada cigarro, cada gole, cada passo,
Cada compasso, cada música,
Cada forma, cada suspiro, cada curva da vida...
Cada calçada, cada saída, cada chegada,
Cada madrugada...
o papel o escuro o grito o choro
A inconsciência.
Fotos magníficas de não querer ser o que se é.
De não saber ser o que se é.
Do escuro pra esconder
Do sorriso pra amarelar
Do abraço, vôo rasante nos seus olhos...
Do beijo, maré vazante dolorida...
Fotos magníficas de um esconderijo que não existe mais...
Ela quebrou a máquina,
Mas a máquina nunca pára,
Fotos magníficas ...

(Escrito ao som de Scientist - Cold Play )

26/06/2012

Poeminha sem estética

acorda cedo
toma banho
seca o cabelo
passa o batom
anda depressa
corre andando
anda correndo
trabalhatrabalhatrabalhatrabalha

já faz tanto tempo que essa inércia já não é mais sentida....
enfia o dedo na ferida.
Opa, estou "vivaamém".

19/06/2012

O Drama de Terça, Quarta Quinta Sexta

Nada que um cobertor não resolva
Nada que o banheiro não esconda
Nada que em uma cerveja não escorra
Nada que uma volta na cama na esquente
Nada que uma vida não faça esquecer.
Nada que a calçada não faça lembrar

13/06/2012

Bom dia



na pele, no olho, no ouvido, na lingua
no velho andando no mato
no novo lembrando do tato
o cabelo jogado pro lado

o sorriso, o afago
a mão quieta compreensiva
a lágrima, amiga compulsiva

sentado no banco de trás...
as seis da manhã morri
as seis da manhã sorri
as seis da manhã, "tescrevi"

10/01/2012

Abandono

Apesar de tudo, não te esqueci, blog querido, estarei de volta após um ano, fique tranquilo...